domingo, 9 de agosto de 2009

...minha mãe.

...O pouco que sei de sua infância,foi que perdeu os pais quando criança.Teve quatro filhos(sendo eu a caçula),sempre trabalhou como cabeleireira. Tudo que ganhava durante o dia,anotava num caderninho e já separava o dízimo.Sempre cuidava sozinha da casa e comprava os mantimentos com seu salário.
Quando tinha uns 50 anos,teve o primeiro A.V.C. e ao saber que teria que depender dos outros,preferiu a morte...Eu era pequena,(Tinha uns 8 anos acho) e quando entrei no quarto dela no hospital,ela disse: QUEM É ESSA MENINA?Foi horrível não ser reconhecida pela minha própria mãe.
Lutando contra tudo ela se recuperou e continuou trabalhando,porém antes trabalhava o dia todo no salão e depois ficou apenas na parte da tarde.
Lembro que de manhã ela acordava cedo pra ler a palavra(Bíblia) e cuidar da casa,quando eu levantava pra ir trabalhar já tinha arrumado a casa toda e estava tomando chimarrão.
Passou vários anos comendo apenas couve refogada.(Não sei como conseguia fazer comidas saborosas pra nós e só comer aquilo) as vezes aos domingos ela comia o mesmo que nós. Com isso viveu alguns anos.Quando ela teve o segundo A.V.C. a igreja se reuniu numa vigília,orando por ela e naquele momento em que orávamos o Senhor tocou a vida dela no hospital.
Minha tia que estava no quarto aquela noite ficou admirada,quando ela pediu pra ir ao banheiro sozinha...(Foi se apoiando nas paredes) quando voltou pediu uma maçã e ela mesma quis descascar.
Se você falasse com ela jamais iria dizer que teve dois "derrames",pois falava normalmente e fazia toda a lida da casa.Ela adorava fazer croché.(Chegava a usar 7 agulhas ao mesmo tempo) e sem saber estava ativando as células do cérebro.Ela lembrava de coisas da infância...
Como eu era a única solteira,ainda morava com meus pais.Sempre deixava bilhetinhos declarando meu amor por ela,pois sabia que ela seria a primeira a acordar no outro dia.Em Fevereiro de 1994,ela ficou até o final da festa de aniversário do neto(Caçula naquela época),algo que ela não costumava fazer.(Parecia que ela sabia que não estaria no próximo.) Estava chegando a Páscoa e eu disse que não queria bombom preto pois dava espinhas(Que bobagem! hehehe) Dia 01/04/94,sexta-feira,fui convidar minha tia pra tomar chimarrão lá em casa e meu pai foi com meu irmão olhar um problema no carro,deixamos ela sozinha à tarde toda,quando voltei ela disse que teve medo de passar mal sem ninguém por perto...no sábado(02/04/94) quando cheguei do serviço,meu irmão mais velho passou lá em casa pra dar um beijo neles como sempre fazia, e minha mãe deu duas caixas de bombons(Uma pra cada neta) e eu fiquei olhando aquela cena...Ela foi no quarto dela e trouxe uma caixa no formato de um coração com bombons brancos pra mim, e disse:NÃO IA ESQUECER DA MINHA CAÇULA! Naquela noite ela ficou até tarde vendo "TV" comigo e meu pai,depois foi deitar.(Eu fiquei vendo um filme que contava a história de uma mãe que vivia sozinha com a filha e trabalhava de motorista de ônibus-escolar) achei lindo pois elas sempre diziam "eu te amo",até pensei em deixar um bilhete pra minha mãe dizendo o quanto ela era especial pra mim,mas acabei indo dormir acho que eram 01:30h e nem escrevi nada...
Quando foi umas 03h (mais ou menos) meu pai me acordou apavorado,minha mãe estava passando mal(Ele coitado,com problemas de Bronquite quis fazer massagem no peito dela mas ficou cansado) entrei no quarto e achei que ela estava dormindo,fiz algo que sempre vi nos filmes...Coloquei o ouvido no peito dela. Jamais vou esquecer aquele silêncio! Ela havia morrido!
Passei a madrugada do domingo de Páscoa(03/04/94) indo de casa em casa avisar meus irmãos da morte dela.Na hora do funeral,disse pro meu pai que não iria...(Eu sempre disse pra ela que não queria ir no seu enterro.) Guardo na memória a mãe dedicada,apaixonada pelos netos,trabalhadora e fiel ao Senhor.(Naquele ano ela completaria 68 anos.)

2 comentários:

  1. Olha eu aqui, não sei te dizer o que acontece com meu blog, uns reclama que faz comentário e não aparecem, outros reclamem que não consegue entrar, mas cono eu sou igual à você não sei nada de nada vou tentar encontra alguem que me ajude rsrsrs
    bjs
    passa lá quem sabe você consegui

    ResponderExcluir
  2. Minha amiga ... que forte relato.
    Não tem como não se emocionar ao ler este depoimento.
    Não sabemos os propósitos de Deus, não é mesmo?Os Seus planos são mais elevados que os nossos.
    A separação da carne é triste demais, ainda mais se tratando de pessoas tão próximas do nosso convivio.
    Posso imaginar o quanto foi difícil para vc e sua família enfrentar a dor desta perda.
    Eu não tenho mais o meu pai, mas sei muito bem o quanto minha mãe é preciosa para mim.
    E quando chega próximo destas datas este sentimento fica ainda mais intenso em nosso corações.
    Paz no seu coração minha amiga.
    Sinta-se abraçada.

    ResponderExcluir

Quem sou eu

Minha foto
Sou alguém que ama a família,os amigos e vou ver as promessas de Deus se cumprir em minha vida.